sexta-feira, 20 de março de 2009

Sem Metáforas


(Violence - Aspius)
.
.
.
SEM METÁFORAS
(André L. Soares)
.
A gente pode prosseguir blefando
– ou não –
que o mal será curado com falsa democracia;
que eleição e referendo são remédios eficazes;
que Deus é brasileiro e essa nação tem bom futuro
e que a moral religiosa aponta mesmo uma saída.
.
A gente pode continuar mentindo
– ou não –
que a corrupção se estancará pela via do Direito;
que bem distribuir renda se faz com negociação;
que não derramar sangue torna todos mais felizes
e que se faz revolução sem que haja algumas perdas.
.
A gente pode dizer, se equivocando
– ou não –
que o narcotráfico está sendo mesmo derrotado;
que as garras das máfias não se apossaram do Estado;
que somente a educação vence a injustiça social
e que é algo construtivo o que chamamos de mídia.
.
A gente pode persistir se iludindo
– ou não –
que se deve acatar a ‘banda podre’ da polícia;
que a morte não é cura exata para os crimes políticos;
que humanismo recupera estuprador e assassino
e que nossa covardia nos faz um povo especial.
.
A gente pode ir avante se enganando
– ou não –
que basta fechar os olhos ao que sofre o vizinho;
que o povo não pode assumir o controle de um país;
que se pode viver bem negando a guerra civil
e que ninguém quer ver cortado esse mal pela raiz.
.
A gente pode até deixar que as elites roubem tudo.
A gente pode ser passivo e até mentir que é cristão.
A gente pode até viver em um nível subumano.
.
Mas até quando?
.
.
.

.
Leia também:
Alma de Poesia /Gritos Verticais /Natureza Poética /O Poema de Cada Dia /Poética Herética /Raiz de Cem /Sons de Sonetos

7 comentários:

  1. isso vem acontecendo a 7000 anús...fazer o que? temos que mentir e mentir e mentir - para comer carne de primeira dez devem passar fome...seculo XXI lobo...este é o seculo XXI ...lobo: vivemos nele e nao somos donos dele - resta a gente ver o mundo se fuder sem ficar de braços cruzados...mas no fundo rindo da ignorancia deles...eles jamais vao ter conciencia da cagada que estao fazendo a si mesmos...pelo menos a gente pode escrever. abraços

    ResponderExcluir
  2. André, o mal é um mal que persegue a humanidade que o comete em atrocidades. Somos o bem e somos o mal. Poucos fazem a diferença: em atitude. Muito forte o que trouxe em verso e imagem.

    ResponderExcluir
  3. Perfeito.
    Mostra bem a cara...
    Nossa cara, de falar, falar, criticar e continuar se iludindo, mentindo, consistindo, OU NÂO...

    ResponderExcluir
  4. A gente pode continuar se iludindo - ou não - mas o pessimismo demais só atrapalha...melhor a ilusão juntamente com a disposição pra mudar alguma coisa...

    Bom fim de semana!

    ResponderExcluir
  5. Se não me engano, já li esse poema no seu outro blog, Gritos Verticais. Mas é bom vê-lo por aqui também. Sensacional a crítica nele contida. Abçs.

    ResponderExcluir
  6. Muito, muito bom!
    Os gritos nos saem pela garganta, mas continuamos a sufocar com nossa amargura! Até quando?

    bjs
    Perséfone

    ResponderExcluir
  7. Olá André,

    Poema-denúncia-constatação com toque de prosa real é um estilo interessante, que me fará voltar por estas paragens de bela poesia.

    Abraços

    ResponderExcluir