quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Sem Chão


(Palafitas - Danilo Alves)
.
.
.
SEM CHÃO
(André L. Soares)
.
Aquela coisa velha é
tábua,
parede feia da
casa
suja e repleta de
água,...
palafita fincada
no chão.
.
Ali vive gente sem
nada,
bebendo e comendo onde
caga,
sonhando com uma cova
rasa...
– Inferno é essa vida
de cão!
.
.

.
.
Favorite:

8 comentários:

  1. E ai cara!
    Percebi que você tirou o link do meu blog de todos os seus blogs.
    Mas o seus links continuam no meu blog!!!

    Se puder coloca eles de volta nos seus blogs!!!

    E se não for mais colocar ao menos me avise!!!

    Abraço

    http://www.avidanobeco.com/

    ResponderExcluir
  2. Olha, trabalhei com criancas em favela no Rio de Janeiro. A favela era igualzinha a esta da foto e a vida delas igual a este poema.
    A favela em Sao cristovao, era conhecida como a favela do beco do rato molhado. Você pode imaginar porque?

    Vim aqui confirmar com a Rita a participacao dela na blogagem coletiva sobre o tema Adocao. Vi que sao muitos blogs que ela tem ou participa. Coloquei este na lista, mas se vc Rita desejar que seja em um outro por favor me envie o link do blog onde vc vai postar sobre o assunto, está bem? Senao depois fica muito difícil eu te achar no meio de quase 150 participantes da blogagem.

    Obrigada.

    Grande abraco

    ResponderExcluir
  3. Tudo jóia André!

    Aqui, eu mudei algumas coisas em meu layout e também o endereço dele. Gostaria que vc atualizasse os links de meu blog. O endereço mudou de www.cadernosdemattar.com (antigo) para www.cadernosdemattar.blogspot.com (atual). O nome continua o mesmo: cadernos de mattar.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  4. Olá André...gostei da sua passagem pelo parapeito..e agradeço as palavras....mas eu nao sei escrever :)) só deixo pequenos recados...ou coloco poesia que gosto :))

    Gostei do que escreveu...se bem que bastante triste tal situação...há tanto tanto "Sem Chão" por este mundo...

    Tudo de bom para si*********

    ResponderExcluir
  5. Essa feiúra é consequência disto:

    O Criacionismo na Fidelidade Rigorosa da Bíblia.

    O que é intrigante é a posição da Terra em relação ao céu. Parece que o Muito e Grande e poderoso sentado no Trono, quando dá uma descarga vem tudo direto pra cabeça de suas igrejas. E quando isso chega, a Terra fica com cheiro não muito bom. Talvez isso explique porque nos sentimos mal quando seus escolhidos superiores passam um mau-hálito quando falam tanto e tão perto perto de nossos ouvidos.
    Parece que somos como que uma espécie de pano-de-chão lá de cima.
    Rigorosamente pela escrita nosso pai, na melhor das hipóteses, é um assassino; o outro rapaz era bom; o poderoso não achou bom revivê-lo, e deixou o assassino se dar bem com as cabras. Daí que uns de nós cismam, com certa razão, que são ovelhas; e os homens já têm assim coceira de chifres desde novos. Nosso avô é um mentiroso; nossa avó andava dando idéia às escondidas pra uma cobra; como ela já gostava de cobra mentiu também pra ver se conseguia segurar no cipó do nosso avô.
    É uma HESTÓRIA linda; e muito criativa; e explica pra nós direitinho nossa condição nesse reino. Pra azar de nosso avõ ele ainda teve também dois filhos igualzinho ao poderoso Manda-Chuva. Nesse reino existe uma certa aversão por mulheres. E parece que pra piorar os dois playboys sem muito o que fazer em suas vidas eternas, vidraram o olho logo aqui pra esse planeta, com tantos por aí. Talvez seja porque é o único que fica embaixo deles, pois no Universo a idéia de em cima e embaixo é de mero contexto proximal e precisa, no mínimo, de referencial. Mas isso não é pra aqui. Isso é coisa de somenos. Como diria o do curso de mau-hálito.
    O problema é que esses dois príncipes encantados parece que são muito espertos, apesar de ter um pai preguiçoso, que depende da gente pra fazer tudo, que só vive sentado e dando descarga, e cisma que temos que ficar gritando e batendo palmas pra ele, pra disfarçar o barulho que faz debaixo do trono; assim ele fica bem na fita. Ele é muito capacitado, por isso manda a gente fazer assim. E nos dá velas e cruzes e uma cartilha grossa que devemos ler todo dia de trás pra frente e de frente pra trás, pra decorarmos a estória desse reino maravilhoso, forte, e conselheiro.
    Os príncipes encantados, por serem crias de uma obra perfeita, vivem brigando. Parece que um continua chegado nas cabritas daqui, e o outro se amarrou na idéia de ser suspendido no trono.
    A coisa desandou quando o outro, de sacanagem, chegou pro Tremendo e disse que o principezinho andava se amarrando em preferir só os jumentos; e tava com a idéia fixa de mandar todo mundo se entregar e entrar na onda dele. O negócio ficou feio lá por cima; e o monte de trovão e raio veio bater tudo em cima de quem? Dos filhos das cabras.
    Aí é que fica o problema. Porque parece que nenhum dos dois gosta de estudar; mas o pai deles ao invés de resolver a picuinha deles, nessa eternidade, pra nossa sorte manda os dois virem cobrar de nós a leitura da malfadada cartilha.
    É uma sina nossa, um karma; que será eterno enquanto dure.

    Fim do final.

    ResponderExcluir
  6. "Sem Chão" é um poema e tanto.
    Ficou ótima a postagem, parabéns!
    Beijussss, querido.;)

    ResponderExcluir
  7. Pena não poder, assim como no orkut, dar um Up para este post...muito bom!

    Bjus♥

    ResponderExcluir
  8. o seus versos são lindos e o pricipal mostra a realidade em que nos vive.



    http://www.mundosubliminar.xpg.com.br
    http://www.solendasurbanas.xpg.com.br

    ResponderExcluir