domingo, 20 de março de 2011

Pájaro del Vino - Poema-Canción


(Foto: André L. Soares.
.
.
.
PÁJARO DEL VINO – POEMA-CANCIÓN
(Rubén Vedovaldi)
.
En medio del patio
soplaba la flauta
los parches latían
al ardor del canto
.
y amor era algo
que soltaba dulce
silencio de pájaro
.
la arena se amaba
con manos de niños
que alzaban cohetes
puentes y castillos
.
y vos derramaste
tu efímero sueño
de vino encendido
.
en medio del patio
la luna apoyaba
sus pies delicados
en alada danza
.
y yo deshojaba
las alas del sueño
por mis ojos de agua.
.
.
.
.
.
.
Gravado em disco compacto: ‘CUANDO LA PALABRA CANTA’, com o músico Carlos Medrano, na Argentina, no outono de 1999.
.
Esse belíssimo poema me foi gentilmente enviado pelo autor, o poeta argentino, Rubén Vedovaldi, a quem agradeço imensamente a gentileza, por permitir que eu postasse o texto aqui. Muitíssimo obrigado, ‘hermano’. Felicidade pra você,... hoje e sempre!
.
.
.
.
Leia também:
Gritos Verticais /O Poema de Cada Dia /Poética Herética /Raiz de Cem /Sons de Sonetos

quinta-feira, 3 de março de 2011

Flor Branca


(Foto: André L. Soares)
.
.
.
FLOR BRANCA
(André L. Soares)
.
Uma flor branca,...
numa noite escura,
pra mostrar que a vida
por ser mais dócil,
pode ser mais pura.
.
Uma flor branca,
alva formosura,...
cheiro da aventura
de roubar jardim.
.
Uma flor branca,...
frágil igual ternura,
madrugada a fora,
pra te lembrar que é hora
de lembrar de mim.
.
.
.

.
Leia também:
Gritos Verticais /O Poema de Cada Dia /Poética Herética /Raiz de Cem /Sons de Sonetos

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Direito Autoral


(Foto: André L. Soares)
.
.
.
DIREITO AUTORAL
(André L. Soares)
.
...tal descuidada prostituta,
que engravida
e enche o mundo,
sou o pai e a mãe
de todos os meus filhos:
faço questão de assumi-los,
...feios ou não.
Não aceito adoção;
a menos, claro, que me paguem
para também prostituí-los
ou, quem sabe, óbvio,...
até concorde que, de graça,
os exibam nas esquinas
– para o merecido escárnio –,
desde que citem meu nome
como o autor das criaturas;
posto que,
...feias ou não,...
ainda são minhas!
.
.
.

.
Leia também:
Gritos Verticais /O Poema de Cada Dia /Poética Herética /Raiz de Cem /Sons de Sonetos

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Imprescindível


(Foto: André L. Soares)
.
.
.

IMPRESCINDÍVEL

(André L. Soares)

.

O dia nasceu maravilhoso...

tudo com jeito de novo,

voltando às boas, de repente.

No céu azul há um sol quente,

sorrindo raios de luz

para inspirar o meu desejo.

Eis que vislumbro sua imagem

cada vez mais próxima,

quase que posso tocá-la...

isso aquece e traz calma

ao meu espírito indócil.

.

Por entre carros e pessoas

caminho como quem sai da prisão

e olha o mundo, anos depois.

Parece que passou a eternidade

entre o momento de hoje

e a última vez que fui feliz.

Por isso inalo cada cheiro de folha,

todos os sopros de vida...

– pode haver ali, um pouco de você –

Não tenho fome, mas me alimento

do meu amor imensurável.

.

Procuro novas palavras

talvez, em outras dimensões

para explicar o que sinto

e como vivo essa paixão...

escuto frases,... arisco

e me arrisco numa canção

para falar do meu amor,

de modo repetitivo...

.

...até você compreender

que me é imprescindível...

...até você compreender

que me é imprescindível...

...até você compreender

que me é imprescindível!

.

.

.

.

Leia também:
Gritos Verticais / O Poema de Cada Dia /Poética Herética /Raiz de Cem /Sons de Sonetos